WOMEN’S HEALTH

TOP 8

Não treino para aparecer numa capa mas confesso que fazer a capa da Womens Health Portugal fazia parte dos meus sonhos. Respiro desporto por prazer! Não me considero nenhuma atleta, mas sim uma curiosa. Estou feliz desde o dia em que soube que ia fazer a capa! Na altura já o fiz, mas nunca é demais agradecer ao Pedro Lucas e à Tânia Alexandre pelo voto de confiança. Ao meu PT Paulo Teixeira por me ajudar há muitos anos a treinar e a convencer que sou uma atleta e que me ensina a nunca desistir. Ao meu namorado Marco Costa porque me fez ter uma noção do exercício e da alimentação que antes de namorar com ele desconhecia.

Por isso, escolhi as 8 perguntas que mais gostei da entrevista da Women’s Health para ficarem a conhecer um bocadinho mais sobre mim e sobre os meus hábito saudáveis!

WH: O desporto tem alguma influência no teu equilíbrio pessoal e profissional?
VM: O desporto faz parte do meu dia-a-dia, é como dormir ou comer. Todos precisamos de dormir e comer para estarmos bem e as pessoas têm de começar a perceber que treinar ou ter uma atividade física faz parte desse pacote. Treinar é a melhor hora do meu dia. Pode custar ir, mas depois compensa muito.

WH: Mas, hoje em dia, com a irregularidade dos teus horários de trabalho, é fácil manteres um estilo de vida saudável?
VM: A dificuldade que temos em ir ao supermercado e comprar um pacote de bolachas é a mesma de ir e comprar bananas. Não se trata de tempo, trata-se de escolhas. Mesmo que eu coma fora, o que acontece muitas vezes, a dificuldade em escolher um prato cheio de molhos com fritos é a mesma de escolher um grelhado com saladas. Eu escolho o que quero comer. Pode haver a desculpa de não ter tempo para treinar, mas para comer bem basta fazer as escolhas certas.

WH: Algumas das nossas leitoras dizem-nos que por vezes ouvem certas críticas sobre os seus hábitos de vida saudável. Levar a marmita para o trabalho, evitar certas comidas, treinar todos os dias são comportamentos que por vezes são ridicularizados, passando muitas vezes a ideia de que não se pensa noutra coisa para além do treino e da alimentação. Já sentiste isso?
VM: Criticar o outro é fácil, fazer algo por nós é sempre mais difícil. Depende de quem faz a crítica, se faz sentido ou não. Cada um faz o que quer e ninguém é obrigado a nada. Eu levo a minha marmita e se a minha colega estiver a comer uma bola de berlim é uma opção dela que, por acaso, a mim até dá jeito porque o meu namorado é pasteleiro! (risos) Mas já senti essas críticas sobretudo em relação ao treino, como por exemplo: “Não precisas de treinar todos os dias porque és magrinha.” Ou eu não marcar um compromisso numa certa hora porque tenho treino e olharem-me de lado devido à minhas prioridades. Mas, sinceramente, não absorvo essa críticas…!

WH: Sei que fazes musculação… Mas deves saber que muitas mulheres não o fazem com receio de ficar com um corpo demasiado musculado e pouco feminino. Que benefícios te trouxe a prática da musculação?
VM: Eu faço musculação há 12 anos e não me sinto menos feminina por isso. Aliás, a musculação molda o meu corpo e define as minhas curvas, por isso não faz sentido pensarem nisso. Se se baseiam nas mulheres que praticam culturismo isso são outros campeonatos e outros treinos. Perde-se mais calorias a fazer musculação do que a correr. “O músculo do adeus” desaparece, o bumbum fica firme, celulite nem vê-la, enfim, querem mais benefícios?

WH: A Maioria das mulheres treinar para perder peso, manter, tonificar. Perder peso nunca foi o teu objetivo, pois não? Que tipo de treino fazes, que dicas darias? (Temos muitas leitoras que querem aumentar a massa muscular).
VM: Eu perco peso muito facilmente. Consigo perder 2 quilos num dia se não comer bem ou se passar horas sem comer… É frustrante porque não é saudável perder este peso todos os dias porque se não desapareço! Então, tenho de controlar a balança e o que como. Treinar abre-me o apetite e a musculação faz-me ganhar massa muscular, porque eu quero aumentar de peso de qualidade e não em gordura. Posso ser magra, mas se só como porcarias ficarei igualmente cheia de celulite e com problemas de saúde tal e qual uma pessoa com excesso de peso. Há que dizer que cada pessoa tem o seu metabolismo. O meu é acelerado, queimo facilmente. Aumentar a massa muscular e fazer uma dieta proteica foi a forma que encontrei para encontrar o equilíbrio no meu corpo e sentir-me bem.

WH: Fala-nos também dos benefícios que passaste a ter depois de começares a alimentar-te melhor. Como é o teu dia-a-dia?
VM: Tento beber muita água ao longo do meu dia, raramente ou quase nunca bebo refrigerantes e como fritos. Ia dizer que nunca como, mas há sempre aquele dia que apetece uma batatinha frita (caseira em azeite e de preferência batata doce, menos mau, certo?). Como legumes, vegetais e fruta todos os dias, vou buscar isso às sopas, sumos e batidos.

WH: No dia desta sessão reparei que trouxeste alguns snacks. És sempre assim tão organizada com a tua alimentação? Preparas sempre as tuas marmitas?
VM: Sempre, a minha marmita anda sempre comigo! Tenho-a sempre pronta com barras de cereais, fruta, iogurte, sementes. Por isso, quando fico com fome, como sempre bem e não fico horas sem comer. E não pensem que sou um ser sobrenatural, a minha lancheira é a maior confusão – mando tudo lá para dentro -, mas como em minha casa só há coisas saudáveis é uma questão de um minutos para organizar tudo.

WH: E que suplementação tomas? Quais os benefícios que passaste a ter depois de introduzires a suplementação?
VM: Durante o treino tomo aminoácidos e glutamina em pó. No pós-treino, tomo sempre a minha proteína Whey. Tomo BCAA’S e vitaminas para conseguir recuperar mais facilmente do treino e dar ao corpo aquilo que ele precisa. Hoje em dia, é muito difícil ir buscar todos os nutrientes à alimentação e os suplementos dão uma valiosa ajuda ao nosso corpo.

Espero que tenham gostado e continuem a treinar e a alimentarem-se bem!

Share on Facebook208Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Reddit0Share on Tumblr0