DE DUAS EM DUAS HORAS

Comer de 2 em 2 horas, eis a questão!

Será que devo comer de 2 em 2 horas? A não ser em casos excepcionais, como por exemplo na gravidez, seguramente que não. Isso implicaria passarmos o dia a comer, e não há tempo nem paciência para isso.

E de 3 em 3 horas? Aí, talvez faça mais sentido se as refeições entre o pequeno almoço, o almoço e o lanche forem ligeiras.

No entanto, em relação a este tema as opiniões divergem.

Recentemente, surgiu uma nova leva que defende que não devemos comer tão frequentemente. Três vezes por dia seria mais do que suficiente. Uns até acreditam que duas vezes ao dia seria suficiente. Defendem que poucas refeições bem preenchidas acabam por ser mais saciantes que seis muito restritas, e que o jejum traz benefícios para o organismo.

Muito embora estas teorias possam ser contestadas, parece-me que acima de tudo é fundamental termos bom senso.

Se ficamos cheios de fome se não comermos nada entre o pequeno almoço e o almoço, então faz sentido comermos a meio da manha para evitarmos devorar este mundo e o outro à hora de almoço. Mas se não tivermos especialmente fome, penso que poderemos saltar esta refeição intermédia e passar directamente a um almoço equilibrado. A mesma coisa poderíamos dizer para o lanche da tarde. A ideia de lanchar à tarde não é tanto comer muito, mas sim comer o suficiente para não chegar à hora do jantar com uma fome de lobo.

Por outro lado, mais do que o número de refeições, também é muito importante as calorias que vamos ingerir durante o dia e o tipo de alimentos (se são ricos em fibras, vitaminas, minerais, entre outras coisas).

Como tal, parece-nos que o mais sensato é sobretudo ingerirmos as calorias que o nosso corpo necessita para funcionar plenamente através de alimentos ricos nutricionalmente e distribuidos entre quatro a seis refeições ao dia, consoante a fome de cada um.

Nutricionistas On-line

Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest1Share on Reddit0Share on Tumblr0