BLOG ME BABY

ONE MORE TIME

A Lucky fê-lo primeiro. A Vogue fê-lo depois. Mas fará ainda sentido colocar uma blogger na capa de uma revista?

Por algum motivo não havia sido tentado antes. Chiara Ferragni, a fundadora de The Blonde Salad, é a primeira bloguer na capa de uma edição da Vogue.

Quem se chegou à frente foi a edição espanhola, com uma vénia a uma democratização da Moda que já carrega aos ombros vários anos de batalhas. E de mutações. Isto porque, quando Ferragni lançou a sua morada online, em 2009, era uma miúda gira com pumps e carteira Chanel. Só que, em 2015, Chiara já publicou um livro, foi rosto da Guess, desenhou linhas para a Superga e para a Steve Madden, tem a sua marca de sapatos e agência de consultoria criativa – TBS Crew. E não só.

As plataformas digitais revolucionaram a definição de estilo, o estatuto de celebridade, a posição de modelo. É por isso que Ferragni chegou à Vogue Espanha (por isso e pelos quase quatro milhões de seguidores que possui no Instagram, qual publicidade imediata): porque é uma mulher de negócios; um fenómeno de popularidade que, em setembro de 2014, já gerava receitas de quase 8 milhões de dólares (cerca de 7,4 milhões de euros). Registar um domínio passou a ser uma porta direta para o mundo do empreendedorismo e transforma um blogue naquilo que nunca tinha sido antes: uma marca.

_______________

Lucky did it first. Vogue did so after. But does it still make sense to put a blogger in a magazine cover?

For some reason it had not been tried before. Chiara Ferragni, the founder of The Blonde Salad, is the first blogger on the cover of an issue of Vogue.

Who came to the forefront was the Spanish edition, with a bow to a democratization of fashion that already carries on it’s shoulders several years of battles. And mutations. This is because when Ferragni launched her online address, in 2009, she was just a pretty girl with pumps and a Chanel purse. But, in 2015, Chiara has published a book, was the face of Guess, drew collections for Superga and Steve Madden, has her own shoe brand and creative consulting agency – TBS Crew. And there is more.

Digital platforms have revolutionized the definition of style, celebrity status, the position of models. That’s why Ferragni arrived at Vogue Spain (that and because of her almost four million followers on Instagram, what immediate publicity): because it is a businesswoman; a popularity phenomenon that, in September 2014, had already generated revenues of almost $ 8 million (approximately 7.4 million euros). To register a domain has become a direct door to the world of entrepreneurship and turns a blog on what had never been before: a brand.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Reddit0Share on Tumblr0